8 de set de 2012

ENTREVISTA | La Republica


La República conversou exclusivamente com Christopher Von Uckermann, o ator mexicano protagonista da famosa série da Fox que estréia hoje sua terceira temporada através do canal a cabo.

No último fim de semana em Bogotá (Colômbia) aconteceu a apresentação de Kdabra 3: el Apocalipsis, série da Fox protagonizada pelo mexicano Christopher Von Uckermann, junto a um grande elenco de atores latino-americanos.

La República esteve presente no lançamento de sua terceira temporada (que estréia hoje, quinta-feira, 10 p.m.) e conversou com o enigmático “Luca”, cujo rosto ficou conhecido a alguns anos como um dos integrantes do grupo musical RBD.

Nesta temporada de 10 capítulos, “Luca” se refugiará em um povoado para continuar uma vida normal, mas logo terá que quebrar sua promessa e fazer uso de magia ao ver-se ameaçado por um grupo de criminosos.

Como se sente interpretando um personagem que supostamente é um clone de Jesus Cristo?
Muita responsabilidade. É um tema forte, delicado mas com um ponto de vista de ficção científica. Desta vez veremos “Luca” mais extrovertido e uma história com mais terror, sangue e armas. Definitivamente é a temporada com mais ação.
Como tem sido o processo de preparação do seu personagem?
Não teve muita preparação como na primeira e segunda temporada, onde eu tive um duplo papel. Desta vez as coisas fluíram naturalmente.
Em Kdabra você dividiu a cena com atores peruanos, se lembra de algum em particular?
Me lembro de Andrea Montenegro no personagem de uma investigadora que se chama Kimber, que tenta descobrir o mistério que me rodeia. Se bem que não gravamos tanto juntos, mas ela é uma atriz muito profissional.
Sendo essa a última temporada de Kdabra, quais são seus próximos planos? Continuará fazendo música ou irá se dedicar somente a atuação?
Minha musica eu nunca vou deixar. Sempre estou gravando canções. E mais, estou preparando uma música para o próximo ano, que será uma surpresa.
O que te motiva mais? A música ou a atuação?
As duas coisas. Tem momentos que me dedico mais a música; e outros, a atuação. São temporadas que alterno, sempre de acordo com as oportunidades.
Que distância ficou para você a época do RBD?
RBD sempre estará marcado na minha história e na minha base, mas de alguma forma esteve sempre claro para mim que isso iria ter um começo e fim. Obviamente entrei no RBD como um cantor a mais, nunca esperei que ia arrebentar, foi uma bonita experiência, mesmo que agora eu siga para outro lado na música. Minha música não tem nada a ver com RBD.
Quer dizer que o RBD foi um produto da moda…
Afinal de contas é um produto, tem um grupo guiado por uma grande equipe, então é um produto que não tem grande duração.
É difícil carregar esse fantasma?
Não, porque tenho claro onde eu quero chegar. Obviamente no começo foi um pouco mais difícil, mas se você tem sua meta clara não tem problema, isso se fortalece.
É verdade que você está próximo de estrear no cinema?
Sim, tenho projetos. O primeiro no México e Colômbia. É um filme de medo, possível-mente com Guillermo del Toro. Também tem outro projeto para participar em um filme em Los Ángeles, mas ainda não é certo.
Será sua entrada a Hollywood?
Sim, mas primeiro quero fazer filme em Latino-américa e logo em Los Ángeles.
Kdabra está dirigido por Felipe Martínez (Tiempo final) e Riccardo Gabrielli.

Nesta temporada fazem parte do elenco os atores Sasha Molina, Marcelo Dos Santos, Gustavo Corredor, Hernán Méndez, Martín Karpan, Albi de Abreu, Julio Medina, Didier Van Der Hof, Joaquín Cosio, Damián Alcázar, Maya Zapata, Fabio Rubiano e Manuel José Cháves.

Fonte: La Republica
Créditos: Uckermann Brasil

0 comentários:

Postar um comentário